Conecta Questor: Robson Luiz Tibolla

Robson Luiz Tibolla é Encarregado de Produto e veste a camisa da empresa com muito orgulho.

E não é de agora que Tibolla tem esse carinho pela Questor. Já fazem 8 anos que ele nos ajuda a escrever uma história linda, com muita pessoalidade e tecnologia.

1 – O que é a Questor pra você, o que ela significa na sua vida?

Posso comparar a Questor como minha segunda mãe. Mãe que me ensina, que dá conselhos, que dá forças para encarar os novos desafios, que me dá oportunidades para ser um profissional melhor e que me prepara pra vida.

2 – Qual setor você atua e quais as responsabilidades do departamento?

Hoje atuo como Encarregado de Produto do novo ERP da Questor, que estamos preparando para receitas recorrentes. Na minha opinião, as minhas responsabilidades vão muito além do que pensar em inovações para o ERP, organizar as sprints e priorizar tarefas. A minha principal responsabilidade é com os meus colaboradores, deixando claro que estou com eles para tudo! Eu sendo transparente com eles, consigo alcançar o meu objetivo, que é entregar um novo produto que seja a cara da Questor, um produto inovador, com uma proposta de encantamento, que supere as expectativas dos seus usuários, um produto com empatia, focado em proporcionar uma experiência única aos seus usuários.

3 – O que tem de mais motivador no seu departamento?

O que tem de mais motivador no meu departamento são as pessoas que estão nele. Pessoas que colocam em primeiro lugar o respeito, empatia uns pelos outros e estão junto comigo para manter um ambiente agradável. 

4 – Se você pudesse definir o seu setor em uma palavra, qual seria?

Fraternidade. Isso é fascinante em uma equipe, pois estamos realmente preocupados uns com os outros. 

5 – Me conta sobre a sua trajetória aqui na Questor

Vamos lá, afinal de contas, são 8 anos. Antes de eu trabalhar na Questor, eu era vendedor de eletrodomésticos em uma loja de departamentos. Já estava estudando na área de informática, mas nunca imaginei que trabalharia com suporte técnico. Até que surgiu a oportunidade. Fiz a prova, passei e entrei na Questor no dia 13 de março de 2013, porém, como vim de um área totalmente diferente, encontrei várias dificuldades. Pensei em desistir várias vezes, achava muito complexo saber de tributação, SGDB, achava que esse não era meu lugar, que eu deveria voltar para o comércio. Revi meus conceitos e pensei: eu posso, eu consigo! Na época tive ajuda do meu gestor, que também não desistiu de mim. Fui para o setor de relatórios, mas não me adaptei, pois eu gosto é de conversar com o cliente, entender e resolver problemas, e como o setor era isolado, só recebia a demanda e fazia, não conseguia desempenhar um bom trabalho. E foi aí que me tornei implantador do ERP P.E.

Para minha sorte, bem nessa época a Receita Federal decretou que todos as empresas de transportes deveriam emitir documentos eletrônicos, e eu fui com a missão de implantar e treinar os clientes de transportes, chegando a implantar 4 clientes em um dia, pois a demanda era muito grande. Eu já preparava a base de dados antes de ir no cliente e já tinha macetes do treinamento. Resumindo, em menos de 4 meses implantei mais de 100 empresas.

Fui adquirindo experiência, sai da implantação e suporte do ERP P.E e fui atender somente revendedores, tanto do ERP Gestão Empresarial como do ERP P.E. Nessa época, aprendi ainda mais, pelo fato de que os problemas eram mais complexos. Em 1 ano, fui promovido pelo CEO João Carlos Pellegrini, a Analista do ERP.P.E, com a responsabilidade de organizar e testar as versões, as quais iriam impactar mais de 2 mil clientes, ou seja, era uma responsabilidade enorme. Consegui estabilizar o produto, e em menos de 1 ano fui para a equipe do novo ERP, em que encontrei mais desafios, um produto novo, cheio de regras e novas ideias que precisavam ser tiradas do papel. Inicialmente o meu papel era de Analista de Regra de Negócio, porém o CEO, acreditando sempre no meu potencial, me promoveu a Product Owner (P.O) do novo ERP. E os desafios só aumentavam, pois com esse papel eu tinha que definir o que era melhor para o produto. A responsabilidade era maior ainda, mas nem se comparava ao que viria pela frente. Fui nomeado a Encarregado de Produto, com a responsabilidade de gerenciar um time de pessoas, lidar com personalidades diferentes e tentar manter a sinergia na equipe para que todos alcancem o resultado proposto, que é a entrega do MVP do novo ERP.

Essa é a minha trajetória, sobre os desafios que passei. Venci uns e me frustrei em outros, mas a cada tombo que eu levava, eu procurava ver o lado bom do que estava acontecendo, e com isso, aprendia com o erro para não repetir. A receita para isso tudo é nunca desistir e sempre confiar no seu potencial, e nunca falar que não vai dar certo sem ao menos tentar. 

6 – O que você aprendeu trabalhando na Questor? (lições, processos, atividades).

Parece clichê, mas realmente essa foi a única empresa que trabalhei, que as portas dos diretores sempre estiveram abertas para mim. Minhas ideias, críticas e sugestões sempre foram ouvidas. A recepção sempre foi a mesma desde quando eu cheguei, sem nenhuma experiência, até o dia de hoje, em que ocupo um cargo de muita responsabilidade. Sinceramente, sem a Questor eu não seria o profissional que sou hoje, quem sabe ainda estaria trabalhando em uma loja de departamentos, sem ter o sentimento de realização profissional que tenho hoje. Sou muito grato a todas as oportunidades que tive, e principalmente, por nunca desistirem de mim. Isso tudo resume o sentimento que passei na primeira pergunta, pois a gratidão que sinto pelos diretores e pela empresa é realmente o que um filho sente por uma mãe.

7 – Me conte sobre um momento que você teve na Questor e que nunca vai esquecer, mudou ou marcou sua vida?

O momento que mais me marcou, foi o meu primeiro dia na Questor. Eu já ouvia falar que a maior empresa de software de Chapecó era a Questor, mas nem passava pela minha cabeça trabalhar aqui, e olha onde eu vim parar, completei 8 anos de empresa este mês, e ainda continuo com a mesma vontade de aprender, o mesmo entusiasmo que tinha há 8 anos. Sinto muito orgulho de fazer parte da história da Questor, e sempre comento que quero deixar um legado. Quero que, quando o usuário acessar um produto ou uma rotina, ele saiba que eu fiz parte desse processo.