Conecta Questor: Keni Borges

Você conhece o Keni Borges, nosso Encarregado de Produto Web?

Keni está conosco há 8 anos. Ele entrou na Questor em 2013, no departamento Web.

1 – O que é a Questor pra você, o que ela significa na sua vida?

A Questor pra mim é um ambiente de constante aprendizado. Em nenhum ambiente de trabalho tive tantas oportunidades de evoluir profissionalmente e ter novos desafios. Essa empresa tem um significado muito importante em minha vida, pois consegui unir o lado profissional com o pessoal. A Questor sempre investiu no colaborador, e o investimento não se refere unicamente na parte técnica, mas também em áreas humanas. Não foi uma ou duas vezes que tive a oportunidade de participar de cursos que instigaram minha visão de cunho pessoal, e que isso agregou muito para minha carreira e minha vida.

2 – Qual setor você atua e quais as responsabilidades do departamento?

Trabalho no setor do Zen, que há pouco tempo era conhecido como setor Web. O departamento trabalha com um portfólio de produtos bem grande, em que abrange desde a Central do Cliente Questor – CCQ, e vai até nosso produto principal, o Questor Zen. O Zen faz toda a integração entre as duas pontas (escritório contábil e cliente final). É um produto 100% web, em que possui várias responsabilidades, e agrega muito valor ao negócio do escritório contábil, com seus módulos que o fazem ganhar muito tempo.

3 – O que tem de mais motivador no seu departamento?

O que mais me motiva no departamento, é a possibilidade de estar sempre inovando. A Questor é uma empresa que está em plena expansão, e a consequência disso, é a necessidade de novos produtos e novas funcionalidades constantemente. A Questor é uma empresa que inova não somente nos produtos, mas também na qualidade das suas soluções, e por isso, aqui é um local motivador de estar, pois estamos sempre acompanhando a tecnologia e utilizando-a para entregar um produto com mais qualidade ao nosso cliente.

4 – Se você pudesse definir o seu setor em uma palavra, qual seria?

Instigador.

5 – Me conta sobre a sua trajetória aqui na Questor.

Eu entrei na Questor em 2013, no departamento Web. Estávamos no início do desenvolvimento do grande produto que hoje conhecemos como Zen. No início, fui designado para cuidar de somente um módulo, o CND. Após alguns meses, em que já estávamos com o Zen em constante evolução, também auxiliei na construção dos demais módulos do software. No início de 2017, fui convidado a ser o líder técnico do time Web, e anos depois, fui nomeado como líder técnico do novo ERP. Foi um período de reconstrução, pois foi necessário pensar em algo novo, que pudesse atender aquela demanda de mercado. Depois de um ano, e com a tecnologia do novo ERP mais estruturada, fui convidado a voltar ao time Web para pensar na reestruturação do Zen. Durante esse processo, tive um novo convite, mas dessa vez, para ser Encarregado de Produto, que é o cargo que ocupo atualmente.

6 – O que você aprendeu trabalhando na Questor? (lições, processos, atividades).

Desde a minha chegada na empresa, o tratamento com o qual fui recebido foi de uma empresa familiar, em que temos a liberdade de conversar abertamente com a diretoria. Isso é muito importante, pois as ideias podem ser debatidas abertamente com a direção, alinhando assim as estratégias de produto. Diante disso, aprendi muito que, olhar o mercado e a necessidade do cliente é muito importante, mas claro, sem deixar de lado os melhores processos internos para o time. Que a equipe e o processo bem desenhado internamente terá reflexo na entrega futura. Além disso, passamos por uma situação de reformulação dos processos, e nessa nova metodologia, focada em métodos ágeis, tive aprendizados que serviram para a minha evolução pessoal e profissional.

7 – Me conte sobre um momento que você teve na Questor e que nunca vai esquecer, mudou ou marcou sua vida?

O que mais me marcou, foi um evento de Dia das Crianças antes da pandemia, em que os filhos vieram conhecer o ambiente de trabalho do pai ou da mãe. Foi uma ocasião bem diferente, e que meu filho achou o máximo! Abrir as portas para que os nossos filhos conheçam todo esse local, e ter todo o trabalho de preparar as salas para essa recepção, foi algo que realmente significou muito.