NT nr. 008/2016 Simples Nacional – Totalização Receitas Mercado Interno e Externo (Resolução CGSN Nº126/2016)

Prezados Clientes,

Na Versão 1.1.133.0 implementamos a apuração do Simples Nacional pelas NOVAS normas dadas pela resolução CGFN 126/2016, essa norma estabelece que para o enquadramento das Faixas/Alíquotas do Simples Nacional as Receitas sejam separadas pelo Total de Receita Mercado Interno e Total de Receita Mercado Externo.
Para que a totalização dessas Receitas fique correta para o ano de 2016, fica necessário que os períodos de Janeiro a Abril de 2016 sejam reapuradas, mas atenção, NÃO é preciso LIMPAR a apuração, basta somente acessar a opção Apuração dos Impostos (menu: Impostos Federais ) , selecionando Simples Nacional e executar a rotina.

Legislação – Resolução CGSN Nº126, de 17 de Março de 2016:
§ 9º Na hipótese prevista no § 1º, para fins de determinação da alíquota de que tratam os §§ 1º a 3º do art. 21, da base de cálculo prevista no art. 16, e das majorações de alíquotas previstas nos arts. 22 a 24 e de aplicação dos sublimites de que tratam os arts. 9º a 12, serão consideradas, separadamente, as receitas brutas auferidas no mercado interno e aquelas decorrentes da exportação. (Lei Complementar nº 123, de 2006, art. 3º, § 15)

ATENÇÃO: Para Empresas com lançamentos na opção Configurar Receitas e Folhas de Salario, nessa Versão 1.1.133.31 o sistema irá replicar o valor da coluna Receita Total informado anteriormente para a NOVA coluna Receita Mercado Interno, com isso os valores já serão totalizados corretamente no ano de 2016, lembrando que os períodos de 01 a 04 de 2016 devem ser recalculado.
Para Empresas com Receitas de Exportação será necessária a manutenção manual.

Atenciosamente
Equipe Questor Sistemas
Helena Lúcia Zang

Marília recebeu segundo encontro regional do ano

Para 2015, o SESCON-SP idealizou um ciclo de eventos regionais que traz o tema “SESCON-SP perto de você”, em alinhamento ao utilizado no aniversário de 66 anos da Entidade, completados em 12 de janeiro: “Na estrada: valorizando e desenvolvendo o Estado de São Paulo”. As campanhas fazem parte das iniciativas visando o fortalecimento do interior e a ampliação dos serviços prestados, uma das prioridades da Gestão 2013-2015.

Na sexta-feira (24), aconteceu na cidade de Marília-SP a nona edição do Encontro regional das Empresas de Serviços Contábeis de Marília, Araçatuba, Birigui, Presidente Prudente e São José do Rio Preto, o segundo evento da série. Um dia inteiro dedicado ao aprimoramento profissional e à troca de experiências, temas técnicos e de gestão empresarial.

IMG_4309_ed

Na abertura do evento, um grupo de violeiros que representou cada um dos municípios em que o SESCON-SP está presente, por meio de suas Regionais espalhadas por todo o Estado, além da sede, na Capital Paulista, deu as boas-vindas aos mais de 300 participantes.

O diretor Regional do SESCON-SP em Marília, Marcos Calil, expressou sua gratidão. “Quero externar minha satisfação em ver este auditório lotado e deixar o meu obrigado a todos os parceiros, diretores, colaboradores e empresários e profissionais da contabilidade que aqui estão, sem vocês nada disso seria possível”, falou ele, em nome também dos demais diretores envolvidos no IX Encontro Regional, André Magustero Américo, de Araçatuba, Elcio Cleber Feitosa Sanches, de Birigui, Jaime Marques Caldeira, de Presidente Prudente, e Antonio Carlos Valêncio Barbosa, de São José do Rio Preto.

IMG_4306_ed

Durante todo o dia, foram debatidos temas de grande relevância para o setor da Contabilidade e também para o empreendedorismo.

FullSizeRender1_ed

Através de sua revenda em Marília, o Questor Sistemas participou da Feira de Negócios e o público que visitou o stand pode conhecer as soluções para agilizar a rotina das organizações contábeis e empresariais.

O evento foi realizado na UNIVEM – Fundação de Ensino Eurípides Soares da Rocha de Marília.

Testadores também erram

Planos de teste, casos de teste, projetos de teste, roteiros de teste, cenários de teste, scripts automatizados, relatórios, incidentes, mapas mentais, tasks, checklists, etc. Artefatos criados por testadores, que possuem uma série de regras e informações relevantes que podem conter defeitos.

Podemos elencar uma série de defeitos que geralmente são encontrados em artefatos de teste quando estes não passam por revisão, tais como: falta de clareza ao explicar como e o que deverá ser testado, informações fora do escopo do teste, dados incorretos, informações irrelevantes, condições impossíveis de serem executadas, condições que não foram exercitadas, condições de teste inexistentes, ações contrárias ao que foi definido nos requisitos, etc.

Vemos que o defeito gerado pelo testador também tem um preço elevado caso seja identificado na fase de execução dos testes, por exemplo, um testador cometeu um erro ao elencar uma condição de teste durante a análise e modelagem, e foram escritos 30 casos de teste a partir desta condição de teste que foi mal escrita. Neste caso, todo o esforço e investimento de criação, execução e relato de falhas encontradas provavelmente serão perdidos, uma vez que tudo foi baseado em uma condição errada.

Uma maneira de evitar este tipo de problema é revisar os artefatos de teste com o objetivo de encontrar o maior número de defeitos possíveis nos artefatos, antes que estes sejam utilizados como base para criação de outros artefatos ou para execução dos testes. Evitando assim o esforço com planejamento e execução de testes desnecessários e o investimento financeiro que seria empregado a estas ações.

Como e o que revisar?

Segundo o Syllabus, revisões podem ser desde pouco a muito formais e podem ser utilizadas para verificar qualquer tipo de artefato.

Revisões pouco formais são as que você, após a criação de um artefato, entrega-o a outro testador experiente e este por sua vez, faz uma análise sobre o artefato com o objetivo de encontrar defeitos.

Já a revisão muito formal, conhecida como inspeção, é uma reunião onde diversas pessoas são envolvidas, cada uma com um papel específico onde um número maior de artefatos é revisado ao mesmo tempo. Inspeções podem ter mais que um objetivo, por exemplo: encontrar defeitos, obter conhecimento sobre um assunto, verificar a estrutura dos artefatos, verificar erros de ortografia e gramática, etc.

O tipo de reunião é definido com base em algumas variáveis, como: tempo disponível, experiência dos testadores, objetivo da revisão, histórico de defeitos em artefatos de teste, complexidade da aplicação que será testada, cláusulas contratuais, etc.

Podemos identificar o que será revisado usando, mas não limitando-se a algumas das variáveis citadas no parágrafo acima, por exemplo: a) se temos pouco tempo para testar, poderíamos revisar apenas os artefatos de teste que possuem o maior risco de apresentar defeitos; b) se os ciclos de teste anteriores têm revelado uma série de problemas na escrita de casos de teste, com certeza neste ciclo seria ideal revisar todos os artefatos gerados; c) se existe um requisito contratual exigindo que todos os artefatos sejam revisados, o esforço de teste deverá incluir tempo para revisar cada artefato desenvolvido.

Quem testa o meu teste?

Os revisores dos artefatos de teste geralmente são os próprios testadores, mas em alguns casos, o revisor pode ser alguém com o domínio da regra de negócio ou alguém com perfil técnico.

Por exemplo, se o objetivo é verificar a estrutura e padrões dos artefatos, os revisores podem ser os próprios testadores; se o objetivo é verificar as condições que serão testadas, os testadores mais experientes ou analistas de negócio poderiam revisar os artefatos; já se o objetivo é verificar características dos ambientes que serão utilizados nos testes, talvez analistas de sistema ou mesmo profissionais responsáveis pelo ambiente de teste poderiam ser os revisores. Como vemos, tudo vai depender de qual é o objetivo da revisão.

Revisores experientes podem, inclusive, identificar novos cenários, condições e estratégias de teste, fazendo com que os artefatos consigam atingir uma cobertura de testes mais ampla.

A escolha incorreta de revisores pode arruinar uma revisão, uma vez que eles são personagens essenciais para o sucesso desta atividade.

Ler apenas não é suficiente

Para que obtenhamos sucesso nas revisões é necessário que o revisor tenha foco e olhar crítico durante a execução da revisão. A simples leitura dos artefatos de teste dificilmente revela defeitos relevantes, por isso, faz-se necessário tentar encontrar informações errôneas nas entrelinhas, por exemplo: informações ambíguas ou incompletas, fluxos impossíveis, informações duplicadas, requisitos inválidos, escrita incorreta, erros de ortografia e gramática, informações de difícil compreensão, informações desatualizadas, dados incorretos, conteúdo duvidoso ou mesmo, concepções pessoais sobre o produto.

É uma tarefa difícil e como vimos exige concentração e experiência sobre o artefato e o conteúdo que está sendo revisado. A utilização de checklists, que são listas de itens a serem verificados, pode facilitar a procura por defeitos comuns ou recorrentes, servindo como um guia para o revisor durante a atividade de revisão dos artefatos.

É preciso ter maturidade

Os autores dos artefatos de teste que serão revisados precisam ter maturidade ao receber os relatos dos defeitos encontrados e aprender com eles ao invés de tomar isto como um ataque ao seu profissionalismo.

Ninguém está livre de cometer erros, a maturidade está em aceitá-los e conseguir extrair lições e experiências que estas situações proporcionam.

Fonte: http://www.qualister.com.br/blog/testadores-tambem-erram

Visita técnica dos alunos do Instituto Federal de Santa Catarina

VisitaIFSC0303_ed

Na manhã do desta, terça-feira (03), a Questor Sistemas recebeu a visita dos alunos do Ensino Médio e Técnico em Informática do Instituto Federal de Santa Catarina (IFSC). Os alunos estão em fase de formação do curso, sendo que as disciplinas abrangem a área de informática, dentre elas programação, onde há grande interesse em conhecer as empresas do ramo de tecnologia.

O Questor Sistemas mostra-se como parceiro e acolhe estes alunos para mostrar-lhes o ambiente em que o mercado tecnológico está inserido. Neste dia, estiveram presentes 22 alunos acompanhados da professora Lara Popov.

A visita técnica foi realizada através da apresentação institucional sobre a empresa e as ferramentas utilizadas. Neste encontro, eles foram recepcionados pelo RH e pelo líder Otavino Motta. Após esta parte institucional, eles conheceram os setores e a estrutura da empresa.

Questor Sistemas – Equipe de Campeões

Uma verdadeira equipe, é assim que podemos definir o “Povo” do Questor. Não importa a cor do cabelo ou a falta dele,  não  importa a circunferência abdominal, não importa a altura, não importa a idade nem o tempo de casa, o que importa realmente é o objetivo traçado, as metas à serem alcançadas, o objetivo comum, este é o espírito vencedor da Equipe QUESTOR.

Nos momentos de tropeços ou dificuldades, criamos forças para continuar,  reforçamos e reavivamos nossas metas, solidificamos a união e o companheirismo, mesmo que em muitas vezes sejam utilizadas palavras fortes de cobrança ou incentivo, quando necessário, usamos o aprendizado do fracasso para definir novos rumos, sempre em busca do sucesso.

Nos momentos de sucesso sorrimos, ficamos felizes, comemoramos, mas mantemo-nos focados no objetivo, sabendo que o resultado foi fruto do esforço e comprometimento coletivo.

Somos todos titulares, não há reservas, todos são chamados ao jogo em momentos importantes, cada um na sua posição, contribuindo significativamente para o sucesso da equipe, muitas vezes, aquele que está do lado de fora, somente na torcida, também faz uma grande diferença, pois está ali com um único propósito, ver a equipe vencedora, e por isso, também faz parte dela.

Utilizo nas palavras acima o exemplo do campeonato de futsal Deatec 2013, conquistado no último final de semana, para exemplificar como age a equipe Questor, enchendo-nos de orgulho, focada na Missão de “Trabalhar com ética e qualidade no desenvolvimento de sistemas e suporte técnico para atender as necessidades de seus clientes, por intermédio de uma equipe comprometida e eficaz, contribuindo para o desenvolvimento nos ambientes onde está inserida”.

O comprometimento da equipe reflete-se na Visão da empresa que é “ser reconhecida nos territórios onde atua como a melhor solução para o desempenho das atividades de seus clientes”.

Esta equipe não resume-se somente aos colaboradores de Chapecó, inclui também todos os nossos parceiros, revendedores, distribuidores e clientes que estão sempre dispostos a ajudar.

Sabemos, não somos perfeitos, ainda há muito que aprendermos e melhorarmos, mas aí está outra grande virtude da equipe, está sempre buscando o aperfeiçoamento e a melhoria dos processos, sabendo reconhecer quando algo não está certo e precisa ser melhorado.

A equipe fez do Questor um software de ponta,  conhecido e reconhecido em todo o Brasil.

Por estas razões, sinto orgulho de dizer, eu faço parte de uma EQUIPE DE CAMPEÕES.

Avaliação MPS-SW, nível G, na New Desenvolvimento(Questor Sistemas) em Chapecó-SC

Em 28 de março de 2013, foi concluída uma avaliação dos processos de software na empresa New Desenvolvimento de Sistemas Ltda (Questor), na sua unidade organizacional em Chapecó-SC, seguindo o método de avaliação MA-MPS. A conclusão da avaliação é que a empresa atende aos critérios do nível G – Parcialmente Gerenciado do modelo de referência MR-MPS-SW.

A avaliação MPS foi realizada pela IA ProMove Soluções em Sistemas e Software Ltda, após implementação MPS realizada com apoio da II CITS – Centro Internacional de Tecnologia de Software no âmbito de um grupo de empresas da IOGE CITS.

Parabéns à equipe. “Quando recebi a proposta para buscar a primeira ‘certificação’ da empresa pensei muito. Era um período de muito trabalho e tinha receio que resultasse em atrasos. A busca pela ‘certificação’ envolveria toda a equipe e antes de iniciar era preciso obter a sua aprovação. Pedi uma reunião com todo o setor, discutimos o assunto abertamente até que todos manifestaram o interesse em participar. Rapidamente foi criada a comissão e vieram as primeiras reuniões. O início foi difícil pois ainda não se tinha o caminho a ser seguido. Com o passar do tempo e com o apoio da consultoria de implementação, o empenho da comissão e da equipe desenvolvemos o primeiro projeto. No dia da avaliação MPS vieram os louros da vitória. A equipe conseguiu a ‘certificação’ na avaliação do nível G do modelo MPS de Software. Hoje, todos os projetos estão dentro dos padrões e fornecem informações cada vez mais precisas para a gerência. Parabéns a toda a equipe e fica o agradecimento a todos os consultores que nos apoiaram”, afirmou o patrocinador da avaliação João Carlos Pellegrini, Diretor Comercial da empresa.

A equipe de avaliação foi formada pelo avaliador líder Mariano Angel Montoni e pelo avaliador adjunto David Bom Zanetti, da Instituição Avaliadora (IA) ProMove Soluções em Sistemas e Software Ltda; Marcelo Fernandes e Vinicius Ritter – representantes da empresa na equipe de avaliação.

Untitled2

Mudança de cultura. “A empresa passou por um processo de implementação do nível G do modelo de referência MR-MPS-SW, do qual tenho orgulho em ter participado e que foi um grande desafio para todos. Após o processo implantado, quando olhamos para trás, vemos o quanto crescemos. A mudança de cultura foi um dos maiores obstáculos enfrentados que conseguimos ultrapassá-lo, aproximando cada vez mais o processo às pessoas. A participação em equipe mais uma vez foi prova de que não conseguimos ir longe sozinho e que, em equipe, tudo se torna mais fácil”, declarou Marcelo Fernandes – representante da empresa na equipe de avaliação.

Comprometimento da equipe. “Durante a implementação do nível G do modelo MPS de Software na empresa nos deparamos com várias situações falhas e presentes no nosso dia a dia, mas praticamente invisíveis aos nossos olhos. O comprometimento de toda a equipe para com o processo de implementação fez com que cada situação dessas, até antes não observadas, fosse vista não como um obstáculo, mas como uma oportunidade de aprendizado. Encontramos e solvemos nossas fraquezas estruturais com determinação e satisfação, com a certeza de que estávamos constantemente nos movendo para um processo sólido e correto, ao mesmo tempo em que descobrimos virtudes tanto do nosso atual processo, as quais puderam ser esculpidas à forma compatível com o novo processo a ser implantado, quanto em nós colaboradores, evidenciando ainda mais nossos pontos fortes. O empenho de toda a equipe, caminhando como um único corpo ao rumo de uma única visão foi crucial para o sucesso da avaliação. É uma grande satisfação poder dizer que participei da implementação do nível G do modelo MPS na empresa, uma importante etapa na vida profissional de cada colaborador, a qual sagramo-nos mais uma vez como vencedores”, complementou Vinicius Ritter – representante da empresa na equipe de avaliação.

Melhoria dos processos de software. “O sucesso do nível G na New Desenvolvimento mostrou que a empresa está comprometida em melhorar continuamente os seus processos e produtos de software”, concluiu o avaliador líder Mariano Montoni.

O programa mobilizador MPS.BR é uma iniciativa brasileira lançada em dezembro de 2003, coordenada pela SOFTEX – Associação para Promoção da Excelência do Software Brasileiro, que visa a Melhoria de Processo do Software Brasileiro, em todas as regiões do país, em um intervalo de tempo justo, a um custo acessível. O MPS.BR conta com investimentos das empresas e apoio do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI), da Financiadora de Estudos e Projetos (FINEP), do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) e SEBRAE. Informações atualizadas sobre o Programa MPS.BR e o Modelo MPS, incluindo metas e resultados alcançados, encontram-se no Portal SOFTEX < www.softex.br/mpsbr >.

O Programa MPS.BR tem 2 metas. A primeira meta é técnica, visando a criação e aprimoramento do Modelo MPS – composto do Modelo de Referência MR-MPS-SW e de um Método de Avaliação (MA-MPS). O Modelo segue modelos e normas internacionais: está em conformidade com as Normas Internacionais ISO/IEC 12207 e ISO/IEC 15504, é compatível com o modelo CMMI, é baseado nas melhores práticas da engenharia de software e é adequado à realidade das empresas brasileiras. A segunda meta é de disseminação do Modelo MPS no mercado, com a implementação do MRMPS-SW e avaliação MA-MPS tanto em pequenas e médias empresas (PMEs) como em grandes empresas públicas e privadas.

Fonte : http://www.softex.br/mpsbr/_avaliacoes/avaliacao.asp?id=4806

Malha Fina para Contribuinte Pessoa Jurídica

Atualmente possuem certa de 4 milhões de empresas em atividades no Brasil, a Receita Federal começa no mes de fevereiro informar diariamente as inconsistências no pagamento de tributos federais.
As empresas passarão a ter malha fina semelhante com o modelo vigente para pessoas físicas. No modelo atual a malha fina para pessoas jurídicas
tem pouco cruzamento de informações, a idéia é fazer o uso maior dos bancos de dados que a receita tem acesso.

Pode ser cruzado o faturamento de uma empresa com vendas feita no cartão de crédito. As operadoras de cartão de crédito poderão passar estas informações a Receita Federal. De forma mais prática se a empresa está vendendo no cartão de crédito um valor superior ao que ela declara à receita, e/ou tem uma quantidade de empregados não condizente com o faturamento declarado, esta empresa cairá na malha fiscal.

Para que a empresa não tenha possiveis complicações é necessário a empresa ter alguns controles como o controle bancário, caixa, contas a receber, incluindo-se cartões de crédito, estoques, patrimônio e contas a pagar.

Para o empresário é de suma importância o controle de movimentações financeiras das contas bancárias, pois é comum o empresário misturar sua conta de pessoa física, com a conta de pessoa jurídica, este caso é chamado de confusão patrimonial, que mistura movimentação de empresa com o sócio e isso gera problemas para os dois lados, uma vez que na Declaração de Informações Sobre Movimentação Financeira (Dimof), as empresas de movimentação financeiras informam o volume de movimentação por semestre, tanto de entrada quanto de saída das contas correntes. Como essas informações são vinculadas ao CPF e ao CNPJ, depois no cruzamento dessas informações através da declaração de IR e das declarações mensais das pessoas jurídicas, fatalmente nestes casos o empresário terá problemas.

Já houve casos de empresas que foram desenquadradas de ofício, porque se todo o dinheiro que a empresa recebe por conta de suas vendas, em algum momento ele vai passar pelo banco, o empresário tem que ter a segurança de que sua contabilidade registrou tudo, se existe nota fiscal emitida, amparando toda essa situação. Por isso que o descontrole nessa área pode levar a uma série de consequências.

Fonte: http://www.sitecontabil.com.br/noticias/12.html

Parceria! Chapecoense e Questor

Na manhã de ontem (24/05) foi oficializada a parceria entre a Associação Chapecoense de Futebol e o Questor Sistemas, na ocasião houve a entrega do termo de doação, onde o Questor fornece ao Verdão um dos módulos de seu software para o clube efetuar seu controle financeiro.

Com o atual crescimento da Chapecoense, é de extrema importância que o clube possa contar com uma ferramenta moderna e confiável para ajudar a gerenciar as finanças do clube. Para o Questor Sistemas é um prazer poder participar desse momento de reformulação e crescimento do clube que tão bem representa não somente nossa cidade, mas toda uma região.

Sandro Palaoro (Presidente da Chape) e Barbara (Diretora Financeira do Questor Empresarial Sistemas)

Questor Empresarial

Canais de Comunicação Questor

A utilização das redes sociais como ferramenta de marketing de relacionamento está servindo para, cada vez mais, aproximar as empresas dos clientes, reforçando o caráter do atendimento mais personalizado.

Assim como a sofisticação da interação empresa-cliente caminha para um foco cada vez mais personalizado, também não há soluções padrão, pois as empresas são muito diferentes entre si.

Por tudo isso, pensando em aproximar ainda mais o Questor Sistemas dos nossos clientes e melhorar os canais de atendimento e informação é que desenvolvemos algumas ferramentas e nos fizemos presentes nas principais redes sociais, inserindo-a no dia-a-dia do cliente, e informá-los de todas as atualizações, desde os lançamentos de produtos até cursos e palestras ofertadas. Torna-se uma forma interativa, e em tempo real, de estar em constante contato com o cliente, que pode dar suas sugestões e fazer suas reclamações. Entre as vantagens está o feedback imediato da aceitação do produto e da marca.

A CCQ – Central do Cliente Questor Central é uma grande aliada na busca de informações e aperfeiçoamento, pois foi criada como um facilitador. Assim o cliente fica por dentro de tudo e ainda com a comodidade de ter todos os recursos em um só lugar.

Após 3 meses de lançamento, a CCQ vem a cada dia ganhando mais usuários. Hoje podemos contar com mais de 4 mil usuários que usufruem da comodidade de ser cliente do Sistema Questor. Na Central do Cliente Questor, os usuários podem acessar conteúdos exclusivos na biblioteca virtual e no nosso wiki, além dos cursos a distância que são ministrados em tempo real.

Na wiki – wiki.questor.net.br o cliente têm acesso a documentações e leituras importantes sobre o sistema, bem como manuais e links para garantir maior conhecimento. Têm acesso a tutoriais passo-a-passo, documentações e informações gerais sobre os serviços e produtos Questor. Cada versão do Sistema Questor, acompanha uma documentação que relata as alterações ocorridas.

Na Biblioteca virtual os clientes têm acesso também à vídeo aulas das versões, relatando o que já foi lançado e principais alterações, passo a passo e tutoriais, possibilitando ao cliente assistir as vídeo aulas em quaquer horário que desejar.

No EAD, nosso canal de ensino à distância, o cliente se inscreve e participa em tempo real de cursos ministrados com temas importantes para facilitar o seu dia a dia.

Em nosso blog – http://blog.questor.net.br/ – nosso cliente têm acesso a informações rápidas, avisos e matérias resumidas sobre temas importantes, artigos de vários assuntos sobre o Questor Sistemas, artigos de interesse da área de contabilidade entre outros.

No twiter – twitter.com/questorsistemas – nosso cliente pode seguir o questor e obter informações rápidas e participar ainda mais com a New no dia a dia.

Além de todas essas ferramentas, o cliente Questor tem atendimento online para suporte do sistema, atendimento via telefone e conta com uma rede de distribuidores para suporte e treinamento presencial.

Tudo isso e mais nosso cliente encontra na CCQ, Central do cliente Questor, canal de informações, novidades e troca de conhecimento. Para quem já é cliente, acesse agora mesmo a CCQ e conheça as várias ferramentas que vão lhe auxiliar no seu dia a dia e se ainda não é acesse a página www.questor.net.br e solicite uma demonstração, assim você verá que os sistemas Questor, são inteligentes, inteligentes de verdade!

Wiki Questor

Informamos aos usuários do Wiki – Questor, que na quarta-feira dia 27 de julho de 2011, o mesmo estará fora do ar para realizarmos manutenções e melhorias.

No dia 01 de agosto voltará ao normal, com novidades.

Pedimos a compreensão de todos e agradecemos a atenção.