NT nr.011/2017 – Manifestações NF-e, z-Drive e Q-Connect

Referente a capturas e manifestações dos XML de entrada pelas ferramentas z-Drive e Questor Connect, devido a mudanças no Web Service da Receita Federal, as aplicações aqui citadas não estão conseguindo manifestar e capturar os XML. Estamos fazendo a adequação da seguinte forma:

Hoje dia 13/06 estaremos liberando o Connect e até o dia 16/06 estaremos liberando o z-Drive.

Salientamos que as NF-e não manifestadas e capturadas serão todas devidamente processadas, pois temos o controle das ultimas notas capturadas e a lista dos documentos para manifestação.

Fique por dentro, temos novidades pra você!

Confira alguma das principais implementações e inovações que foram feitas até o momento nesse ano de 2016 nos módulos Fiscal e Contabilidade:

Serviços Simples Nacional, no mês de Março incluímos o acesso rápido e fácil a todos os Serviços disponíveis no Portal do Simples Nacional através do próprio sistema, preenchendo automaticamente o CNPJ, o CPF do Responsável e o Código de Acesso, sem a necessidade abrir um navegador de Internet e preencher manualmente esses dados.

Ainda em Março facilitamos a Implantação dos Saldos Contábeis Tipo Balanço na Contabilidade, aquela rotina que é usada ao cadastrar no sistema uma nova empresa que já possui Balanço Patrimonial fechado em outro sistema ou escritório, permitimos implantar os saldos do Ativo e Passivo de todas as contas contábeis através de uma visão dinâmica para o usuário.

Agora no mês de Abril inovamos a rotina de Importação NFe e CTe pelo Site da Receita Federal, possibilitando ao Cliente importar várias Chaves de Acesso em uma única execução.

A Consultas dos Lançamentos Fiscais foi a grande inovação da vez, as consultas ficaram mais dinâmicas permitindo que você Cliente personalize os dados conforme a sua necessidade, filtrando os mais váriodos dados, totalizando colunas específicas, copiando e colando dados específicos da própria grid de consulta para outras planilhas ou editores de texto.

Ainda para esse ano teremos várias outras novidades, uma delas e a reformulação no leiaute das telas de Lançamentos Fiscais, que ficará mais moderna e prática. Outra alteração muito importante será nova rotina de Duplicação das Configurações, onde unificaremos todas as rotinas existentes no sistema permitindo duplicar configurações entre Empresas de forma centralizada, a mesma proporcionará ao cliente agilidade no cadastramento de novas empresas. As mudanças não param, acompanhe mensalmente a documentação de nossas Versões.

Versão 3.10 do Leiaute da NF-e – Mudança nos Prazos!

Através da Nota Técnica 2013/005 foi divulgada a prorrogação do limite de utilização da versão 2.0 da NF-e até o mês de março/2015.

Após essa data será obrigatória à migração para a versão 3.1 do leiaute da NF-e.

Como de praxe o Questor está preparado para as atualizações das obrigatoriedades fiscais, disponibilizando a seus clientes em tempo hábil, e sem surpresas.

Maiores dúvidas podem ser sanadas no link abaixo.

http://www.nfe.fazenda.gov.br/portal/informe.aspx?ehCTG=false

Equipe Questor Empresarial

Layout NF-e versão 3.10 – NT 2013/005

De forma geral, as necessidades de alteração de leiaute da NF-e são agrupadas durante um
tempo e acabam compondo uma versão nacional anual, ou a cada dois anos. O objetivo é evitar
alterações frequentes do leiaute da NF-e, evitando também, portanto, a necessidade de
manutenção nos sistemas de emissão de NF-e para as empresas e para as SEFAZ. A exceção a
esta regra é motivada pelas adaptações necessárias na mudança de legislação, que normalmente
tem um porte menor, mas que também devem cumprir um cronograma capaz de ser observado
pelas empresas e pelas SEFAZ autorizadoras.

A última revisão de leiaute foi feita em 2010 e não tivemos grandes versões nacionais nos anos de
2011 e 2012. Atualmente o leiaute da NF-e está na versão “2.00” e esta Nota Técnica tem o
objetivo de divulgar:
• Funcionalidades opcionais que serão disponibilizadas pelas SEFAZ para o serviço de
autorização de uso da NF-e;
• Alterações necessárias para a migração da versão “2.00” para a versão “3.10” do leiaute da
NF-e;
• Alterações em regras de validação, principalmente aquelas vinculadas aos novos campos
ou a novos controles, melhorando a qualidade da informação prestada pelas empresas e
mantida pelas SEFAZ.

Sobre o Prazo de Implantação

Os prazos para entrada em vigência das mudanças relacionadas nesta NT irão depender do
modelo do documento fiscal: NF-e (modelo 55) ou NFC-e (modelo 65), principalmente porque as
empresas emitentes de NFC-e, e as SEFAZ que adotam este modelo de documento, já fizeram
uma boa parte das mudanças previstas nesta NT. Veja cronograma abaixo:

A. Para a NF-e (Modelo 55)
• Ambiente de Homologação (ambiente de teste das empresas): 03/02/2014;
• Ambiente de Produção: 10/03/2014;
• Desativação da versão “2.00” da NF-e: 01/12/2014.

B. Para a NFC-e (Modelo 65)
• Ambiente de Homologação (ambiente de teste das empresas): 02/12/2013;
• Ambiente de Produção: 06/01/2014;
• Desativação da versão “3.00” da NFC-e: 31/03/2014.

Fonte: http://www.nfe.fazenda.gov.br/
Nota Técnica 2013/005

Nota Técnica nr. 05/2014 – Nota Fiscal Eletrônica

Nota Técnica nr. 05/2014 – Nota Fiscal Eletrônica

Liberamos a versão 1.1.107.1 do Questor Tributário na qual  alteramos o processo de Importação NFe pela Chave de Acesso,  para importar conforme a nova estrutura do Portal Nacional da Nota Fiscal Eletrônica. Vale lembrar que a rotina de importação não sofreu alteração na sua forma, apenas passa as respeitar os novos nomes de algumas tags.

Equipe Questor

Mudanças na emissão de Nota Fiscal Eletrônica – Espírito Santo

As mais de 27 mil empresas emissoras de Nota Fiscal Eletrônica (NF-e) no Estado do Espírito Santo devem estar atentas a uma importante mudança na emissão dos documentos a partir de Fevereiro deste ano. A medida vale a partir do dia 4 de fevereiro, a partir da zero hora dessa data as emissões de NF-e passarão a ser autorizadas pela Sefaz Virtual do Rio Grande do Sul (SVRS).

Usuários do Questor Empresarial que estiverem com dificuldade na emissão de notas devem alterar os cadastro dos WebServices (no menu NF-e / WebServices) para os novos endereços.
Os endereços dos WebServices estão disponíveis no Portal da Nota Fiscal Eletrônica pelo link: http://www.nfe.fazenda.gov.br/portal/webServices.aspx?tipoConteudo=Wak0FwB7dKs=#SVRS.

Não será necessário credenciar novamente a empresa, tampouco alterar a sequência de numeração da NF-e já utilizada. A mudança é apenas no autorizador da NF-e.

Fonte: http://internet.sefaz.es.gov.br/informacoes/noticias.php?id=1646

NF-e – Começa a ser Implantada a versão 3.10

Projeto mais bem-sucedido do Sistema Público de Escrituração Digital (SPED), com cerca de 1 milhão de emissores no País, a Nota Fiscal Eletrônica está passando por mudanças estruturais determinantes.

Segundo o cronograma, os ambientes de homologação e de produção da versão 3.10 da NF-e, desenvolvidos pelas Secretarias de Estado da Fazenda, ficarão à disposição até o dia 4 de novembro. Mais adiante, em 2 de dezembro, será a vez do ambiente de homologação da NF-e ficar à disposição dos contribuintes, enquanto o seu ambiente de produção somente estará liberado em 3 de março de 2014.

O diretor da Decision IT Eduardo Battistella, membro do Players NF-e – grupo de trabalho que debate os aspectos técnicos e legais da Nota Fiscal eletrônica –, destaca as cinco principais mudanças e analisa como elas refletirão nas rotinas das empresas.

A primeira alteração será a criação de um leiaute único para a NF-e e a NFC-e. “Os leiautes das versões 2.0 da Nota Fiscal eletrônica e 3.0 da Nota Fiscal eletrônica para Consumidor Final foram compatibilizados, minimizando o impacto para quem apenas emite NF-e, além de reduzir os custos de implementação para quem emitirá ambos os modelos de documentos”, explica.

A segunda mudança trata do processo de solicitação de autorização síncrona e/ou compactada, “o que reduzirá o tempo total de processamento e a utilização do canal de Internet”, observa Battistella.

Segundo ele, outra modificação de peso se dará na autorização de download do XML. “O contribuinte poderá informar até 10 usuários (CPF ou CNPJ) que terão acesso à NF-e pelos vários meios disponibilizados pela SEFAZ, trazendo mais segurança ao procedimento”, comenta.

O quarto diferencial ocorrerá na revisão de processos. A emissão de NF-e de devolução deverá ser revista, no caso dos contribuintes que devolvem, em uma mesma NF-e, itens recebidos em mais de um documento de origem. Neste caso, somente um documento de origem poderá ser referenciado por NF-e.

Outro processo que será revisto impacta os contribuintes que realizam operações de comércio exterior, conforme alerta o especialista: “novas informações estão sendo solicitadas no XML e deverão ser previstas nos seus sistemas de gestão”.
Por último, foi introduzida a validação do capítulo da Nomenclatura Comum do Mercosul (NCM) – os dois primeiros dígitos – declarada nos produtos. Segundo Battistella, o saneamento de cadastros de produtos deve ser iniciado imediatamente, ou as empresas terão sérios problemas para a emissão das notas.

“O novo padrão deverá agregar maior qualidade às informações prestadas, aumentando a segurança fiscal da organização, além de causar diversas melhorias de desempenho nesses procedimentos. Por outro lado, para as administrações tributárias, vislumbra-se um maior poderio de fiscalização, que proporcionará a diminuição da sonegação e um provável aumento na arrecadação”, conclui.

Fonte: http://www.incorporativa.com.br/mostranews.php?id=10942

Cancelamento de NF-e por Evento

A partir do dia 01 de Abril de 2013, o cancelamento de NF-e só poderá ser feito via serviço de recepção de Evento, cumprindo o ajuste Sinitef 16, de 28 de setembro de 2012.
O Questor Empresarial já atende esse tipo de cancelamento a algum tempo, sendo que existe uma configuração simples a ser feita:
-Acessando o Menu NF-e > Configurações, Localizando a configuração da Filial desejada, e colocando a opção, Cancelamento de NF-e por Evento – SIM, Como imagem abaixo:
Cancelamento Evento

Após essa configuração é necessário fechar o sistema e abrir novamente, e realizar o cancelamento da nota normalmente, sendo que então aparecerá a mensagem abaixo, informando o cancelamento por Evento:

Cancelemento evento2

Em caso de dúvidas, favor entrar em contato com o suporte do Questor Empresarial.

Questor Empresarial – Armazenamento de XML

Com a entrada da NFe, NFSe e CTe o documento fiscal em papel (modelo 1 ou 1-A) perdeu a importância de ser armazenado como anteriormente. Para atender as necessidades de seus usuários perante as novas exigências, o Questor Empresarial criou uma ferramenta de armazenamento de arquivos eletrônicos, onde os mesmos são automaticamente “arquivados” em um “Data Center”, os arquivos ficam disponíveis online para download do cliente Questor Empresarial, também existe a possibilidade das empresas disponibilizarem a seus clientes o download dos XML’s.

Abaixo algumas perguntas e respostas quanto ao uso da NFe e armazenamento do arquivo XML.

* As empresas (emitentes e destinatárias) deverão guardar algum tipo de documento (NF-e ou DANFE)?

A regra geral é que o emitente e o destinatário deverão manter as NF-e em arquivo digital pelo prazo estabelecido na legislação tributária para a guarda dos documentos fiscais, devendo ser apresentadas à administração tributária, quando solicitado. Assim, o emitente deve armazenar apenas o arquivo digital.
No caso da empresa destinatária das mercadorias e da NF-e, e que seja emitente de NF-e, ela não precisará guardar o DANFE, mas apenas o arquivo digital recebido.
Caso o destinatário não seja contribuinte credenciado para a emissão de NF-e, poderá, alternativamente, manter em arquivo o DANFE relativo à NF-e da operação pelo prazo decadencial estabelecido pela legislação, devendo ser apresentado à administração tributária, quando solicitado.
Reforçamos que o destinatário sempre deverá verificar a validade e autenticidade da NF-e e a existência de Autorização de Uso da NF-e, tenha ele recebido o arquivo digital da NF-e ou o DANFE acompanhando a mercadoria.

* Em caso de sinistro ou perda do arquivo eletrônico das NF-e, seriam estas disponibilizadas para recuperação por parte da SEFAZ ou SRF?

Não. Da mesma forma que a guarda das Notas Fiscais em papel fica a cargo dos contribuintes, também a cargo destes ficará a guarda dos documentos eletrônicos. Ressalte-se que os recursos necessários para a guarda do documento digital, incluindo backup, têm um custo muito inferior do que a guarda dos documentos físicos, permitindo ainda a rápida recuperação do arquivo e suas informações.

* A empresa é obrigada a guardar a NF-e pelo período previsto na legislação. Ela pode armazenar esses arquivos em banco de dados?

A NF-e é o arquivo XML assinado digitalmente agregado com a sua respectiva autorização de uso. Esses elementos é que devem ser armazenados, no mesmo formato que foram transmitidos e autorizados.
A manutenção das informações em banco de dados é decisão do contribuinte. Esses bancos de dados são importantes para as questões operacionais da empresa, mas não substituem a obrigação da guarda do XML da NF-e.

Para mais informações sobre o armazenamento do arquivo XML, entre em contato com o setor comercial da Questor Empresarial.

Fonte: http://www.nfe.fazenda.gov.br/